14
Dez
11

O Sal da Língua comemora 4 anos

O Sal da Língua está hoje de parabéns!

Eu agradeço as visitas (já são mais de 50 000), as palavras de incentivo e, para comemorar, deixo-vos com o poema que deu o mote a este espaço e que marcou a primeira partilha, há precisamente 4 anos atrás.

 

Escuta escuta: tenho ainda

uma coisa a dizer.

Não é importante, eu sei, não vai

salvar o mundo, não mudará

a vida de ninguém – mas quem

é hoje capaz de salvar o mundo

ou apenas mudar o sentido

da vida de alguém?

Escuta-me, não te demoro.

É coisa pouca, como a chuvinha

que vem vindo devagar.

São três, quatro palavras, pouco

mais. Palavras que te quero confiar.

Para que não se extingue o seu lume,

o seu lume breve.

Palavras que muito amei,

que talvez ame ainda.

Elas são a casa, o sal da língua.

Anúncios

4 Responses to “O Sal da Língua comemora 4 anos”


  1. Dezembro 14, 2011 às 10:17 pm

    Parabéns, Raquel! E ao Sal da Língua.

  2. 2 Raquel Agra
    Dezembro 16, 2011 às 1:34 am

    Obrigada Bernardo!
    Um abraço,
    Raquel

  3. Dezembro 22, 2011 às 5:08 pm

    Raquel um abraço desde o Sul do Brasil, junto desejo de um ótimo Natal e que 2012 siga sendo um ano d e muitas possibilidades poéticas.

    E vivas à Poesia de Eugénio!!

    Carmen.

    • 4 Raquel Agra
      Dezembro 30, 2011 às 12:49 am

      Carmen,

      Um grande abraço para ti e para o Vidráguas, que 2012 nos encha de vida e de poesia, afinal andam ambas de mãos dadas!

      Com carinho,
      Raquel


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


"Poupar o coração é permitir à morte coroar-se de alegria." Eugénio de Andrade
Dezembro 2011
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
“Sobre Eugénio sobra-me em emoção e lágrimas o que escasseia em palavras. Não há claridade que te descreva, meu querido Eugénio. És o meu poeta de ontem e de sempre. Mantinha um desejo secreto de te conhecer um dia, passar uma tarde contigo de manta nas pernas a afagar os gatos que tanto amavas. Em silêncio, sim, pois sempre foi em silêncio que me disseste tudo ao longo destes anos todos em que devorei as tuas palavras. Tu não poupaste o coração e por isso viverás sempre. Não há morte que resista a isso.” Raquel Agra (13/06/2005)

Blog Stats

  • 141,464 hits

%d bloggers like this: