Posts Tagged ‘Festival Silêncio

02
Jul
15

O Sal da Língua sugere… Festival Silêncio 2015

O Sal da Língua sugere, para estes dias que se avizinham (2 a 5 de julho), uma visita, várias visitas ou, se possível for, a permanência no Festival Silêncio 2015. O Festival Silêncio, com palco no Cais do Sodré (eixo da Rua de São Paulo), é a celebração da palavra enquanto unidade criativa, veículo do pensamento e da criação. Durante quatro dias, o Festival Silêncio oferece à cidade de Lisboa uma programação pensada em conjunto com uma diversidade de artistas, produtores, entidades de criação, estruturas de divulgação e instituições de carácter social e cultural locais, nacionais e internacionais. O Festival Silêncio é a festa da palavra dita, escrita, pensada, encenada, cantada, musicada, filmada e ilustrada. É um convite à cidade de Lisboa, é de todos e para todos.
Mais informações aqui: http://festivalsilencio.com/

FestivalSilencio_site

Anúncios
27
Jun
12

O Sal da Língua sugere… Festival Silêncio

O Sal da Língua sugere, para os próximos dias, uma ida ou várias ao Festival Silêncio,que decorrerá na cidade de Lisboa de 26 de Junho a 1 de Julho. O Festival Silêncio apresenta-se como tendo o objectivo de “devolver o poder à palavra cruzando-a com as diferentes artes e sublinhando o papel vital desta na criação artística. A palavra inscreve-se na vida da cidade pela mão de escritores, artistas plásticos, encenadores, músicos, actores, cineastas que exploram essa íntima relação com a linguagem. Seja qual for o seu modus operandi, é através da palavra que grandes nomes da cena literária e artística irão partilhar com o público a sua própria visão do mundo.” Este Festival é, assim, uma celebração  da poesia e da escrita, dando espaço ao silêncio, à reflexão e à palavra. O Festival será palco de espectáculos, cinema, leituras e conversas.

No campo da poesia destacam-se os seguintes eventos: No dia 27 de Junho a conversa “Onde o silêncio mora”, em que dois poetas da novíssima geração, Margarida Vale de Gato e Miguel-Manso, falarão sobre a sua poesia numa conversa moderada pela jornalista, e uma das dinamizadoras da tertúlia Avenida dos Poemas, Raquel Marinho. No dia 30 de Junho os poetas João Luís Barreto Guimarães e Maria do Rosário Pedreira discorrerão sobre a sua arte poética numa conversa com moderação do poeta e crítico literário Eduardo Pitta. Também no dia 30 a jornalista Anabela Mota Ribeiro, o poeta e ensaísta Nuno Júdice e o realizador Miguel Gonçalves Mendes conversarão sobre a dimensão poética na vida e obra de José Saramago. Para além das conversas sobre poesia destacam-se ainda os projectos musicais poéticos, como “Os Poetas”, de Rodrigo Leão e Gabriel Gomes, que tem um único álbum editado em 1997 (Os Poetas – Entre Nós e as Palavras), o “Neurotycon”, dos Pop Dell”Arte, onde revisitam várias referências (de Homero a William Gibson) e o concerto especial de Mão Morta, de forte componente spoken word, revisitando a sua obra mas também a poesia de Al Berto.

 

16
Jun
11

Música de palavra(s)

O Festival Silêncio teve honras de abertura, ontem à noite, com o espectáculo “Música de Palavra(s)”, uma celebração da palavra poética cantada a duas mãos por José Mário BrancoCamané, acompanhados magistralmente pelo contrabaixo de Carlos Bica, pela guitarra de José Peixoto e pelo piano e acordeão de Filipe Raposo. Com todos eles e com todos nós estiveram, claro está, os poetas, celebrados com palavras, com sons, com silêncios e com intimidade. Na tela montada no palco iam morando, vez à vez, a Sophia, o Alexandre O’Neill, o Cesariny, e a poesia até então na voz dos cantores era tomada pelos poetas, numa proximidade com quem na plateia estava que chegava a ser arrepiante. Outras presenças ou fragmentos poéticos marcaram o espaço de partilha no Cinema São Jorge: Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade, Natália Correia, Florbela Espanca, Jorge de Sena, Camões, Ruy Belo, David Mourão Ferreira, Antero.

Um espectáculo musical único, de celebração da poesia, e que abre com chave de ouro o belíssimo festival que é este Festival Silêncio, onde de 15 a 25 de Junho, em diversos palcos da cidade de Lisboa, vai celebrar-se a palavra poética dita e o seu cruzamento com outras artes, desde a música ao cinema, passando pelas artes cénicas e vídeo.

Aqui ficam alguns fragmentos da noite:

 

Dão-nos um lírio e um canivete

e uma alma para ir à escola

(…)

Natália Correia

 

Tudo o que sonho ou passo,

O que me falha ou finda,

É como que um terraço

Sobre outra coisa ainda.

Essa coisa é que é linda.

(…)

Fernando Pessoa

 

 (…) ter de existir num tempo de canalhas

de um umbigo preso à podridão de impérios

e à lei de mendigar favor dos grandes

 (…)

Jorge de Sena

 

É uma escada em caracol

E que não tem corrimão.

Vai a caminho do Sol

Mas nunca passa do chão.

(…)                 

 Sobe-se numa corrida.

Corre-se p’rigos em vão.

Adivinhaste: é a vida

A escada sem corrimão

David Mourão-Ferreira

 

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

(…)

Camões

13
Jun
11

O Sal da Língua sugere…iniciativas em torno de Eugénio, Pessoa e Al Berto

O Sal da Língua sugere…

A apresentação do ensaio de Federico Bertolazzi sobre o pensamento estético e a poética de Eugénio de Andrade –  “Noite e Dia da Mesma Luz”. Amanhã, dia 14, na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, às 18h30. A apresentação estará a cargo de Fernando J.B. Martinho e será projectada uma vídeo-antologia de Eugénio de Andrade em que o poeta lê os seus poemas.

A realização do curso “Os livros esotéricos de Fernando Pessoa“. O curso sobre Fernando Pessoa será coordenado por José Manuel Anes e leccionado no auditório da Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, entre as 18h30 e as 20h30, nos dias 20 e 27 de Junho e 4, 11, 18 e 25 de Julho de 2010.  curso, com vagas limitadas (80) tem uma “propina” de 40 euros, incluindo visita guiada à Quinta da Regaleira. A inscrição deve ser feita na Casa Fernando Pessoa, até 15 de Junho. No final do curso será entregue um diploma de participação.

 

O espectáculo de homenagem a Al Berto com o nome “Moradas do Silêncio”, integrado no Festival Silêncio e que terá lugar no Cinema São Jorge, em Lisboa, no dia 25 de Junho às 22h00. Sérgio Godinho, JP Simões, João Peste, Rui Reininho, Noiserv e Miguel Borges juntam-se para uma homenagem a Al Berto num espectáculo único e irrepetível. Em “Moradas do Silêncio” cada artista é convidado a apresentar três temas inspirados na obra do poeta ou relacionados com o imaginário da sua escrita. Neste espectáculo transdisciplinar cada intervenção será precedida por curtos interlúdios em que, sob texturas musicais de Noiserv, serão declamados poemas seleccionados pelo escritor Nuno Júdice. O vídeo será de João Pedro Gomes sobre imagens e fotografias do poeta, manipuladas por Tó Trips (Mackintóxico). A banda suporte será constituída por quatro elementos dos Rádio Macau: Flak, Filipe Valentim, Samuel Palitos e Alex Cortez.




"Poupar o coração é permitir à morte coroar-se de alegria." Eugénio de Andrade
Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Jan    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
“Sobre Eugénio sobra-me em emoção e lágrimas o que escasseia em palavras. Não há claridade que te descreva, meu querido Eugénio. És o meu poeta de ontem e de sempre. Mantinha um desejo secreto de te conhecer um dia, passar uma tarde contigo de manta nas pernas a afagar os gatos que tanto amavas. Em silêncio, sim, pois sempre foi em silêncio que me disseste tudo ao longo destes anos todos em que devorei as tuas palavras. Tu não poupaste o coração e por isso viverás sempre. Não há morte que resista a isso.” Raquel Agra (13/06/2005)

Blog Stats

  • 140,243 hits